Quem sou eu

Minha foto
Miradouro, Minas Gerais, Brazil

As Minhas 15 Mais

30 de março de 2010

Centro de Soluções Linguísticas

    Na minha vida de estudante, como aluno de escola pública, não tive acesso a novos idiomas, apenas no Ensino Médio, algumas aulas de inglês. Entretanto, nem por isso deixei de acreditar que conhecer um novo idioma fosse muito importante para o crescimento pessoal e profissional.
    Vejo este novo projeto como se fosse uma árvore no outono, sem frutos e sem flores, que aguarda ansiosamente a chegada da primavera. O Centro de Soluções Lingüísticas é mais uma ação inovadora que vem cada vez mais fortalecer a educação no município, acreditando, inclusive, que a educação é um dos principais eixos do desenvolvimento. O objetivo é preparar nossos jovens para o mercado de trabalho sempre mais exigente e competitivo.
    O conhecimento de novos idiomas é fundamental neste mundo globalizado e sem fronteiras, o intuito é democratizar o acesso aos idiomas mais falados no planeta. Teremos aulas de inglês, espanhol, francês e português, inteiramente gratuito, em três turnos: matutino, vespertino e noturno.
    Negociamos uma parceria com a empresa Positivo, que disponibilizará o material didático gratuitamente para o professor e o aluno terá que comprar apenas uma apostila por ano, as aulas acontecerão no Centro Multiuso e terão início no dia 05 de abril.
    A busca do conhecimento é uma constante em nossa administração, proporcionar aos jovens a cultura de outros países e o despertar para novas línguas é uma grande realização para todos nós.

Depoimento de um Produtor Rural sobre os benefícios do Projeto Ouro Branco

video


Esta propriedade é do Sr. Odilon Valentim, o 23º Núcleo implantado na região de Serrania, próximo ao Parque Estadual Serra do Brigadeiro.

Entrevista na Rádio Muriaé em 19/03

video

Entrevista concedida para TV Assembleia de Minas em 25/03

video

29 de março de 2010

Orquestrando com a natureza

    Orquestrando com a natureza, Projeto premiado em 19/05/2009 pelo Instituto Biosfera, ressalta a necessidade de preservação do meio ambiente, tema que desafia todo planeta e exige políticas de desenvolvimento sustentável em todas as esferas de governo, hoje, temos uma responsabilidade compartilhada, a grande maioria dos municípios necessitam de estrutura física, agenda ambiental e financiamento.
     Em parceria com IEF promovemos o plantio de 18.000 (dezoito mil) mudas de árvore nativas, em nossas encostas, revitalizando parte de nossa Mata Atlântica.
    As etapas de plantio, foram divididas entre: 2005; 2007.
   Além dessa ação; somam-se os cercamentos das nascentes, nas propriedades do Projeto Ouro Branco.
    Apesar da Lei 6938 que prevê desde 1981 a implantação política ambiental no país seja por meio de ações compartilhadas, houve muitas limitações para sua efetivação. Dentre essas, talvez a falta de acordo sobre a distribuição das competências entre os entes federados seja a pior, embora seja uma gestão compartilhada, antes de tudo, é uma questão municipal.
    O congresso nacional deixa pendente a aprovação de lei complementar ao artigo 23 da Constituição que estabelece a competência comum da União, Estado e Município, que necessitam dessa lei para definir o papel de cada um. Assim, iniciamos a formação do Codema e do Conselho Municipal de Gestão Ambiental, primeiro passo nessa longa trajetória.
    Criamos uma agenda que chamamos: Azul verde, com objetivos e dez metas a serem cumpridas, com a integração de todas as secretarias, são elas:

1 – Rede de esgoto tratada;

2 – Lixo mínimo;

3 – Recuperação de nossas encostas;

4 – Arborização urbana;

5 – Educação ambiental nas escolas;

6 – Habitação sustentável;

7 – Controle do uso da água;

8 – Poluição do ar;

9 – A estrutura ambiental;

10 – Conselho ambiental.

Medicina itinerante

    Existe um imenso silêncio ruidoso que se acrescenta pela respiração, ressoando talvez como tom mais íntimo ao sentimento chamado esperança. É assim que defino a medicina que escolhi para minha vida.

Medicina itinerante

    O Projeto medicina itinerante visa a discussão com a sociedade de várias temáticas, como aconteceu durante o ano de 2009 e acontecerá neste ano, o deslocamento do Secretário de Saúde nas comunidades, a fim de elucidar dúvidas e despertar momentos reflexivos na população.

As palestras em 2009 foram:

• Violência contra a mulher;

• Gravidez na adolescência;

• Intoxicação por agrotóxico.

As palestras em 2010 serão:

• Violência contra a mulher;

• Gravidez na adolescência;

• Saúde mental .               

Cartas que foram um dia poesia

    Imagine você que partidos políticos que historicamente defendiam questões pontuais como: a defesa do trabalhador rural, os direitos das mulheres, interrompem a sua trajetória para que não mais que de repente, sofrer aquilo que a revista Isto é dessa semana, chamou de metamorfose.
    Esses tornaram-se pragmáticos, fisiológicos, e conservadores de direita, a mim nada disso assusta, pois aqui no interior, partidos que deveriam ter ideologia de esquerda já se aliam a partidos de extrema direita, mas isso não é o pior, bem mais assustador que isso é alguém ter a capacidade de achar que as ditaduras só podem ocorrer com partidos de direita.
    Dissidentes cubanos estão morrendo sem que o mundo faça nada, presos ao mito de que Cuba é o paraíso sonhado por todos. Um enorme banho de sangue sistemático promove a ditadura de Fidel Castro. Pense nisso!!!

O ideal não é real

    Nos dias 23 e 24 de março, a AMM promoveu o primeiro Pacto Institucional que deveria ser um diálogo menos formal e preocupado com a discussão pedagógica e orientadora dos agentes políticos, o que na realidade não ocorreu.
    Os órgãos de controle público são extremamente necessários, assim como toda lei de responsabilidade fiscal representa um grande avanço na gestão pública, entretanto, os municípios sofrem por pequenas receitas e apresentam dificuldades de material humano capacitado, daí o grande anseio dos gestores públicos municipais, que estes órgãos de controle fossem mais orientadores que punitivos, promovendo capacitações periódicas dentro e fora do município.

Acessibilidade à diversidade

     “O desenvolvimento do sujeito humano se dá a partir das constantes interações com o meio social em que vive, já que as formas psicológicas mais sofisticadas emergem da vida social.” Vygotsky.
     Porque nossas crianças deveriam ficar isoladas, sem conviverem em nossas escolas regulares?
    Essa pergunta sempre me interessou ... e para que pudéssemos respondê-la começamos em 2008 o processo de inclusão, para estabelecer essa inclusão e saber respeitar as diferenças, foi necessário construir uma equipe de profissionais, que chamamos equipe de suporte composta por psicólogos e fonoaudiólogos, que assistem professores, supervisores pedagógicos, diretores, pais de alunos ditos “normais” e pais de alunos com deficiência, eles permanecem nesse atendimento durante o período escolar e no Centro Multiuso existem outros profissionais que podem fazer atendimentos clínicos que forem necessários.
    Capacitamos exaustivamente profissionais da educação da rede municipal, iniciamos um processo de adequação da estrutura física e providenciamos uma larga discussão entre pais, a inclusão não se faz apenas com a participação da escola e seus agentes, mas sim, com a participação de toda a comunidade. Fica em nós a clareza que temos um longo caminho a percorrer e que o mais difícil deles, talvez seja romper com as barreiras do preconceito que a maioria de nós carregamos.

Projeto: Mediação Habilidosa.

    “O que precisamos ensinar aos alunos para que não apenas aprendam, mas aprendam a aprender?” Sandra Garcia.
    Como desenvolver no aluno o senso crítico e aguçar sua autonomia?
    Essas atitudes serão desse indivíduo por toda a sua vida, assim, dar aos alunos possibilidades de construir habilidades, capazes de levá-los ao conhecimento, que muitas vezes, é a troca de informações, é submeter-se ao intercâmbio cultural, que ocorrerá entre as escolas da zona rural e urbana.
    Sabemos que as diferenças do desenvolvimento cognitivo das crianças não podem ser apenas explicadas com base na herança congênita, existem também fatores exógenos, tais como: estímulos ambientais e diferenças culturais, além é claro, do contexto social. Nossos professores urbanos terão a possibilidade de trabalhar com os da zona rural a valorização do homem do campo e fazer com que seus alunos possam valorizá-lo também.
    Os alunos das escolas rurais com esse intercâmbio terão sua auto estima trabalhada, o professor deverá assegurar que este estímulo percebido e compreendido, seja significativamente integrado à estrutura mental do aluno.
    Esperamos que esse intercâmbio de conhecimento e cultura possa ser ampliado à esfera material, despertando a capacidade de socializar e de ser solidário, em professores e alunos.

26 de março de 2010

Verde Jasmim


Todos nós precisamos sonhar e acreditar em algo...

Todos nós precisamos de novas ideias porque lutar...

Verde Jasmim, faz parte desse novo projeto: um novo livro.

Verde Jasmim

...É possível fazer uma aventura sem sacrificar a inteligência, a paixão medieval ou a redenção da honra?

                                             É deliciosamente engraçado o tempo para se adorar...

                                             É também uma colisão romântica!

Portanto, submeta-se ao amparo da noite, da lua.
Recue seus precisos dedos à fonte mais insensata!

Submeto-me ao salivar de tua boca, que em cujo êxtase faz-se olhar perfumizado; umidecente até as pálpebras.

Vivemos enfim nossas impessoalidades...

Vivemos tudo que verbalizamos juntos...

E nos desejamos, infinitamente, nos desejamos.

A Educação palma da liberdade

    Pensando no que disse certa vez Paulo Freire, “a educação é instrumento de libertação”... O que libertaria mais o homem do campo do que a educação, se ele já vive em contato com natureza, com a chuva que dela nasce, com os ventos que ela semeia, com os risos e sonhos que dela crescem? A educação do campo nasce da esperança de defender uma cultura , visa atender as necessidades próprias de cada aluno em sua localidade, considerando toda adversidade coletiva e seus aspectos próprios, assim, pensei em implantar algo que não retrata-se o campo apenas de forma transversal, mas que efetivamente fizesse parte do conteúdo da escola.
    Implantamos em nosso município uma forma própria de educação do campo, nossas crianças visitam as propriedades piloto, os projetos outro branco, ouro verde, constroem juntos a realidade dos projetos e constatam a viabilidade do campo, nasce assim, um novo jeito de educação do campo, construído na percepção da realidade local, mantendo a valorização de sua história e suas tradições, abrindo possibilidades para reflexão e questionamentos sobre a forma de trabalhar e viver no campo.
    Nessa perspectiva, valorizamos o homem e na mesma proporção sua auto estima, assim o trabalhador rural passa a ser enriquecido do orgulho: Sou produtor de alimentos!

O Verde Perfume das Acácias

Hoje, pensando em você que tem acessado o meu blog, que acredita na força de Minas e no poder das letras, ofereço-te:

O Verde Perfume das Acácias.

Se eu fosse ensinar a grandeza da poesia a um filho. Não pensaria em regras ou rimas.

Ouviríamos acolhidos, bem juntinhos; as estrofes melódicas mais gostosas...

E ficaríamos encantados, adormecidos sob os mistérios das letras!

Faria com que sentisse a suavidade do orvalho das manhãs, a musicalidade do vento em nossas faces, o olhar açucarado de quando se deseja a mulher a quem você confia seus segredos...

Ouviríamos ainda o piscar de seus cílios dizendo às vezes sim, às vezes não, as propostas insensatas e os desejos mais contidos. E assim, saberíamos juntos que a poesia esta em tudo que sentimos, em tudo que percebemos, e sonhamos.

Que não é uma simples construção literária, e nem um complexo lingüístico ou analítico. É a essência das razões humanas...

Pacto Institucional - Danilo de Castro

Ontem, estive em reunião com o Secretário de Estado de Minas Gerais Sr.Danilo de Castro, em Belo Horizonte, para tratarmos sobre o Pacto Institucional que trata de obras de drenagem pluvial já solicitadas e que estão em análise, aguardando a decisão do Soma Infra, para o mês de maio.

Palestras Sebrae...levando Projeto Ouro Branco para novas fronteiras.

O Sebrae Nacional na busca do desenvolvimento regional, promove um encontro de lideranças nos dias: * 14 de abril Montes Claros;
* 16 de abril Pouso Alegre ;
* 22 de abril Juiz de Fora;
* 29 de abril Governador Valadares;
* 10 de junho Uberlândia.
Estarei dando depoimento sobre a conquista do Prêmio Prefeito Empreendedor do Sebrae 2010, destacando as grandes realizações que o Projeto Ouro Branco proporciona na melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores e trabalhadoras rurais de Miradouro.

Jornal de Muriaé 19 de março de 2010



Palavras do repórter:

"Com seu estilo popular e interessado pelo meio rural, o Prefeito Wagner Dutra conquista o Prêmio SEBRAE-MG com o Projeto Ouro Branco".

Entrega do Prêmio Prefeito Empreendedor 2010 (parte 1)

video

25 de março de 2010

Entrega do Prêmio Prefeito Empreendedor 2010

video

Projeto Promorar viabiliza a moradia com dignidade

    O Programa Promorar criado em 30 de setembro de 2005, através da Lei nº 1.175/05, é um avanço para o município, um programa de melhoria de moradia, que atende as famílias em situação de vulnerabilidade social, por meio da liberação de material de construção e serviços, como a mão de obra do pedreiro.
    Para ser atendido pelo programa é preciso ter renda mensal comprovada de até um salário mínimo, além de manter os filhos em idade escolar matriculados em escolas públicas, com freqüência mínima de 75% e possuir apenas um imóvel.
    No ano de 2008, foram liberados R$ 41.701.67 em material de construção para cerca de 79 famílias da zona rural e urbana. Em 2009 e 2010 já foram atendidas mais de 40 famílias com a entrega de material de construção e mão de obra do pedreiro cedido pela Prefeitura, em que o ajudante é o próprio morador, afinal o projeto propõe parceria e crescimento da família.
    O projeto é articulado com todas as secretarias e os programas por elas desenvolvidos, considerando inclusive, que para estar inserido neste, é necessário estar com as obrigações sociais e impostos municipais em dia, isso é política pública de assistência social e não apenas assistencialismo, o nosso objetivo é criar condições para que essas famílias saiam da condição de vulnerabilidade social, através de cursos, programas de crescimento e políticas públicas que propiciem esse avanço.
    O PROMORAR tem por objetivo principal a democratização do acesso às melhores condições de moradia, melhorando a qualidade de vida da população miradourense.

Encontro MenteInovadora


Prefeito de Santo Antônio do Aventureiro Sr. Paulinho (camisa Azul claro), Prefeito de Palma Sr. Beto, Supervisora pedagógica do Projeto Mente Inovadora Sandra Garcia,Eu, Prefeito de Chácara Wagner, Prefeito de Patrocínio de Muriaé Sr. Nassipinho.

No último dia 19, promovi um encontro com a diretora pedagógica do Projeto MenteInovadora, Sra. Sandra Regina Resende Garcia, de nível internacional, já que este projeto teve origem em Israel, com prefeitos e secretários de educação de toda região, com o objetivo de divulgar essa metodologia de ensino, implantada no município há dois anos, que tem alcançado excelentes resultados na educação em Miradouro.
Estiveram presentes os Prefeitos de Palma, Sr. Beto; de Chácara, Sr. Wagner; de Patrocínio de Muriaé, Sr. Nassipinho; de São Francisco do Glória, Sr. Lucinao ; de Santo Antônio do Aventureiro, Sr. Paulo e os Secretários de Educação de Fervedouro, Antônio Prado de Minas e Barão do Monte Alto.
Essa metodologia é aplicada em algumas escolas particulares de São Paulo, Curitiba e em duas de Belo Horizonte, no interior mineiro, somos a única cidade que ousou utiliza-lá, por isso, o encontro aconteceu aqui , com o intuito de promover o MenteInovadora para toda a região.

Audiência com Secretário de Estado Danilo de Castro

Ontem a tarde, em Belo Horizonte, participei de uma audiência com assessores do Secretário de Estado Danilo de Castro, em que fora discutido a judicialização da Saúde.

Prêmio Prefeito Empreendedor

Ontem concedi uma entevista para a Revista Edição Brasil, falando da importância do Prêmio Prefeito Empreendedor Sebrae 2010, que incentiva os demais pequenos municípios mineiros a criarem novas opções de desenvolvimento, considerando o grande avanço que tivemos na agricultura familiar e na pecuária leiteira através do Projeto Ouro Branco, que teve seu sucesso comprovado por esta premiação.

24 de março de 2010

Programa de Convivência Habilidosa Pós-Parto

   É cediço que as mães são intensamente acompanhadas durante todo o período de gestação, de forma minuciosa, através de exames clínicos e laboratoriais, consultas médicas e atenção especial por parte do Programa Saúde da Família. O trabalho de pré-natal desenvolvido no nosso Município é excelente, resultando na redução do índice de mortalidade infantil, como exemplo em 2009, não houve nenhum caso de morte de 0 a 1 ano,o que permanece até dos dias de hoje.
   Os mais recentes estudos da neurociência provam que a formação do cérebro, bem como a definição da personalidade de um indivíduo, se concretiza antes mesmo dos quatro anos de idade.
   Portanto, as crianças nessa fase de desenvolvimento, precisam ter acesso e oportunidade de crescimento social, cognitivo e psicológico, através de atividades que estimulem as habilidades não cognitivas, como respeito, solidariedade e disciplina.
   A afetividade e o trabalho lúdico proporcionam a formação de um indivíduo capaz de conhecer os seus direitos e o seu papel de cidadão na sociedade.
   Para tanto, o convívio familiar e o afeto materno são essenciais neste processo, expor a criança a um novo vocabulário e a novas experiências possibilitam a promoção da criatividade. Para que haja estímulos de aprendizagem e que estes sejam aplicados corretamente na educação das crianças é necessário que tenhamos pais preparados para promover atividades e brincadeiras apropriadas com seus bebês que estimularão o desenvolvimento de suas capacidades cerebrais e competências cognitivas. Estimular a criança corretamente, aumenta sua capacidade lingüística, motora, sensitiva e intelectual.
   A música, por exemplo, segundo dizem os profissionais da área, pode ser usada de variadas formas que farão com que as crianças se sintam tranquilas e autoconfiantes, e quanto mais cedo a música for introduzida no dia-a-dia delas, maior potencial elas terão para aprender.
   Além disto, acredito, que as atividades que as mães possam exercer com seus filhos como leitura, jogos de tabuleiro, CDs, DVDs, livros didáticos e educativos, através da equipe multidisciplinar composta por fonoaudiólogo, psicólogo, terapeuta ocupacional e assistente social, ligados integralmente com o PSF, são atividades que também irão desenvolver competências cognitivas.
   A ideia deste programa parte de um grande sonho, com dois objetivos distintos, manter em zero a mortalidade infantil e desenvolver habilidades e competências cognitivas e sociais em nossas crianças, para a formação de cidadãos comprometidos com o bem-estar coletivo.

Prêmio Prefeito Empreendedor

Ontem fui entevistado pela revista PQN de Belo Horizonte sobre o Prêmio Prefeito Empreendedor do Sebrae, ressaltando sobre a importância deste para Minas Gerais e a responsabilidade de representar o Estado em todo o país.

Audiência com Secretário de Saúde do Estado

Ontem às 16:30h participei de uma audiência com o Secretário de Saúde de Minas Gerais, o Dr. Antônio Jorge de Souza Marques, o Deputado Estadual Fábio Avelar e o Secretário de Saúde de Miradouro, Dr. Otávio, para tratarmos sobre o serviço de urgência e emergência no município.

Pacto Institucional em Belo Horizonte

Estou em Belo Horizonte, com a Diretoria da Associação Mineira dos Municípios promovendo, nos dias 23 e 24, o Pacto Institucional, em que nos reunimos com prefeitos mineiros e órgãos do controle do Estado e União, para discutirmos sobre as formas legais na condução da gestão pública.

23 de março de 2010

Turismo alma de um povo

Meus amigos, para que possamos pensar em turismo, necessário se faz, primeiramente, que proporcionemos qualidade de vida. Uma cidade é boa para o turista, quando ela é boa para quem nela vive.

E pergunto a vocês: Encontraríamos qualidade de vida numa cidade que não fosse calçada? Que a comunicação fosse falha? Que os sistemas básicos, como o de limpeza pública não funcionasse?

Nosso governo é um governo que visa principalmente criar infra-estrutura e implantar novos projetos a fim de proporcionar grande suporte aos próximos gestores que irão me suceder.

O Parque Estadual Serra do Brigadeiro, uma área de conservação ambiental, é uma fonte inesgotável de recursos naturais, que possui em seu entorno as cidades: Araponga, Fervedouro, Miradouro, Ervália, Sericita, Pedra Bonita, Muriaé, Divino e Rosário da Limeira, que compõem o Território de Desenvolvimento Sustentável da Serra do Brigadeiro, uma política pública do atual Governo Federal.

Sabemos que fazer turismo é algo muito sério, comprometido, entretanto deve ser algo também alegre e pensado a longo prazo, como se cultivássemos uma pequena planta.

Turismo se faz antes de tudo, com ética, aprimorando o bom humor, buscando a união e o esforço coletivo.

Temos riquezas inesgotáveis, nossas cachoeiras, nosso folclore, o Parque Estadual Serra do Brigadeiro e mais do que tudo isso e acima de tudo, a hospitalidade de nossa gente.

Pensei em turismo em 2004 e venho aos poucos, construindo essa idéia em cada cidadão. Em nossos projetos desenvolvidos na Zona Rural: Viver Melhor, Ouro Verde, Ouro Branco, Saber e Nutrir e Educação no Campo tenho dito, que no mundo globalizado, qualidade não é mais um diferencial, mas sim uma obrigação. E esse pensamento não pode ser diferente quando se fala em turismo.

E se você está perguntando: Onde está tudo isso? Você precisa ver mais os boletins informativos, ouvir nossos programas nas rádios ou quem sabe, perguntar ao seu irmão do lado.

Sim, é necessário pensar em turismo dentro da realidade, é necessário incentivar os empreendedores para buscar no poder público um parceiro para desenvolver suas atividades.

Reconheço em mim um grande entusiasta e, acredito que esse entusiasmo exista em cada um de nós, até porque a etimologia dessa palavra quer dizer: “Deus dentro de você” e tenho certeza que Ele habita em nosso interior, nos guiando, nos conduzindo.

Jaime Lerner, um dos idealizadores de Curitiba colocou com muita propriedade, quando disse: “O turismo é e sempre será o marketing de um povo”.

Desta forma, caro cidadão, empenhados estamos em apostar em nosso município como grande centro turístico, projetando-o, realçando suas belezas naturais e o maravilhoso e singular povo de Miradouro.

22 de março de 2010

Redução da maioridade penal

Caro Leitor,

Gostaria de fazer-lhes uma pergunta:

Qual é a autoridade máxima de nosso país?

Tenho certeza que todos, de forma uníssona, responderão:

__ O Presidente da República!

Abusando de sua paciência, pergunto novamente:

Você acha que as decisões que o representante maior da nação toma em quatro anos, influenciam ou não na sua vida?

Ah! Certamente, você percebe o quanto seus dias dependem das decisões desse homem! E também tem conhecimento de que, para que ele pudesse estar lá, investido de tamanha autoridade e magnitude, foi preciso que, por intermédio das urnas, o mesmo contasse com o voto de todos nós, inclusive com os votos de eleitores entre 16 e 18 anos!

Sendo assim, acho copioso, sórdido e inconsequente não decretar a maioridade penal aos 16 anos.

Importa salientar, que vivemos num mundo de informações rápidas, um mundo em que o conhecimento se diversifica e se populariza, um mundo participativo, ao mesmo tempo em que alicerçado na lógica do individual e aí, sabe-se quase tudo, de todos, bem mais cedo.

Considero por demais enfadonha a afirmativa de que temos que melhorar cada vez mais a educação, que temos que lutar contra a injustiça social, que temos que gerar emprego e, enquanto estamos seriamente empenhados nesta bravata, jovens de classe média e de classe média alta agridem nossas mães e matam nossos filhos, demonstrando o mais absoluto desprezo pela condição humana.

Ora, é fácil e cômodo pensar no presente artigo como apenas uma crônica cheia de metáforas e apelativos, enquanto isso não acontece com a gente.

De repente, não mais que de repente, mudamos nossa postura e passamos a pensar não apenas na maioridade penal aos 16 anos, mas discutimos e ficamos também indignados com a liberdade de um preso que cometeu crime hediondo e, cumpridos apenas um 1/6 de sua pena, é colocado nas ruas, gozando da mais pura liberdade. Ou, ainda, passamos a analisar as idas e vindas de “Fernandinho Beira-Mar”, de avião, gastando 7 mil reais por cada viagem, à custa dos impostos pagos e muito bem pagos por todos nós.

Poderia meus amigos citar dezenas de outros pontos, absurdos que a população deste país vem suportando, mas me detenho e solicito que façamos, diariamente, uma reflexão profunda sobre a necessidade de apoiarmos a redução da maioridade penal e, sendo assim, tentarmos minimizar os números quilométricos produzidos pela barbárie de tais facínoras.



Saúde Coletiva - Uma conquista

O Programa Saúde da Família (PSF) originou-se na Medicina da Família que surgiu em 1996 nos EUA e representa uma tentativa de resgate de experiências históricas, sendo também um processo de racionalização envolvendo na redução de custos, o deslocamento de tecnologia e, por conseguinte, aumentando cada vez mais a cobertura de saúde.

No Brasil, tivemos o início do Programa na década de 70, mas só efetivamente foi caracterizado como política pública e implantado na década de 90, momento em que atingiu sua maturidade. Embora seja alvo de críticas por parte de leigos e profissionais de saúde, o PSF é, inquestionavelmente, de caráter focalizador, promovendo o reconhecimento e a efetivação do direito de saúde.

Neste sentido, não podemos nos esquecer nunca do que estabelece nossa Carta Magna, que preceitua: “ A saúde é um direito de todos e um dever do Estado”.

Mas, o que é hoje para o país, para os usuários, o PSF?

Ele é aquilo que os sujeitos sociais fizeram dele – a forma de implementação de acordo com cada realidade, em consonância com cada ator social, e, talvez, o mais importante, e poucas vezes visto: é justamente a percepção de cada ator que irá defini-lo.

Uma equipe de saúde deve ter acesso contínuo à percepção. Deve antes de tudo, perceber-se e motivar-se com responsável avaliação rotineira.

A saúde coletiva é a unificação da prática e saber, ampliando, reproduzindo conhecimento e aplicando-o.

Há de se ter cada vez mais uma abordagem que revele potencialidades, que busque iniciativas, que venha usufruir de diferentes contribuições e formas de inserção, bem como promover a inter-relação com profissionais de saúde, rede de serviços e a população em geral.

A esta proposta de percepção inclusa ao aprofundamento de sentidos e afetos, nos cabe, ainda relacionar e acrescentar como referência fundamental, certos aspectos, tais como: compromisso profissional, respeito, ética – sem os quais não seria possível a elaboração de práticas participativas.

E assim, finalmente, o que temos?

A prática fundamental com certa autonomia e o saber atrelado ao controle.

Talvez, todos estejamos em busca de uma proposta mais conterrânea, quem sabe, até “ideal”, cada vez mais participativa e assim sendo, mais abrangente. O fato, no entanto, é que a democratização da saúde coletiva trouxe avanços para a saúde pública e é uma luz para que aqueles que dela mais necessitam!



Projeto Ouro verde

Conceito:

O Projeto Ouro Verde objetiva o incentivo a produção de café, principalmente de produtores de agricultura familiar, que visa o aumento da produção, produtividade e qualidade, com resultados de lucros interessantes. O nome “Ouro verde” vem do objetivo de fazer com que se contenha um cafeeiro nutrido adequadamente para produzir todo o seu potencial, e não somente preocupar com o fruto quando já se enxerga – o no pé.

Histórico e Observações:

Historicamente a região da Zona da Mata vem sofrendo com vários ciclos. O ciclo do ouro, ciclo da mineração, ciclo da cana de açúcar. Isso fez com que os agricultores migrassem para as regiões urbanas. Além disso, o processo de industrialização mostrou-se cada vez mais ávido por mão – de - obra, outro fator que também contribuiu para o êxodo rural.

Entendemos que esses agricultores sem capacitação ficam excluídos do processo industrial, em conseqüência disso ficam à margem da sociedade urbana, entregues à mercê das drogas e de diversos meios de violência.

Nossa administração constatou que teríamos como desafio, buscar o desenvolvimento sustentável com base na agroecologia do homem do campo, como forma de evitar o êxodo rural. Passamos a analisar então, a forma como os produtores de café de nossa região trabalhavam. Detectamos que eles utilizavam o método tradicional que não lhe garantia qualidade, nem volume, trazendo no final de cada ano/safra a desilusão com a atividade. Detectado também, que alguns produtores que conseguiam fazer o cafeeiro produzir bem, tinham sua receita reduzida pela degeneração da qualidade, após a colheita (derriça) pelo uso inadequado de técnicas de secagem e armazenagem. Doutras vezes, viu-se a desvalorização do produto na hora da venda por pura e simples arbitrariedade do comprador.

Por causa dessa realidade, e já tendo provado do sucesso havido com a estrutura do Projeto Ouro Branco, é que surgiu a idéia de tecnificar a o produtor, através de trabalhos e infra-estrutura, com veemente ênfase no associativismo e cooperativismo. A conscientização do valor do empenho foi e tem sido arduamente trabalhada.

Apenas a implantação do projeto não seria suficiente. Várias outras medidas deviam ser tomadas para que se tornasse sólida e viável a permanência no campo. Para isso, foram tomadas várias medidas de infra-estrutura, em vários setores, tais como:

• Em meio ambiente: Recuperação e proteção das nascentes, instalação de sub-sede do IEF no município, incentivo ao PRONAF florestal.

• Em infra-estrutura: melhoria das estradas, telefonia móvel, construção de pontes, facilitando assim o acesso à zona rural do município.

• Na educação: ampliação da educação no campo, levando as demais séries do ensino fundamental aos povoados, permitindo que os filhos dos produtores pudessem estudar sem ter que se deslocar até a cidade, facilitando assim o acesso e a permanência na escola. Além disso, houve uma integração entre o ensino e a realidade do aluno da zona rural, as práticas agrícolas não são colocadas apenas como matérias transversais, mas foram inseridas à grade curricular, além das visitas às propriedades piloto do Projeto Ouro Branco, comprovando sua implantação e viabilidade.

• Na Secretaria de Assistência Social: Melhoria da eletrificação rural, onde 100% das propriedades foram atendidas, construção e melhoria das residências, visitas domiciliares frequentes.

• Houve ainda uma efetiva integração entre as secretarias de Agricultura, Saúde e Assistência Social, na implantação do projeto Desnutrição Zero consolidado em 2007, não temos mais desnutridos no município.

Para a implantação do Projeto Ouro Verde, entendeu-se, antecipadamente, a necessidade de uma parceria múltipla entre as entidades que se relacionam com o produtor, afim de dar forte foco, visto que na fase inicial havia grande pretensão para um período. A dificuldade em conquistar confiança de um produtor que esta cansado de ser escalavrado e desconsiderado pelos que o rodearam por anos também é fato trabalhoso do projeto. O projeto se baseia na criação de núcleos de micro-agricultores que possuíam de 01 a 30 hectares, que são o público alvo do projeto.

Atividades desenvolvidas no Projeto:

1) Conscientização de trabalho em conjunto – associativismo e cooperativismo;

2) Formação dos Grupos de trabalho coletivo: consideradas as distâncias e particularidades de cada, se estabelece a quantidade de produtores em cada núcleo, estabelecendo o mínimo de dois e o máximo estabelecido pelas características de cada núcleo.

3) Apresentação da proposta de assistência técnica continuada.

4) Confecção de projeto de financiamento de estruturas individuais (tulhas e terreiros)

5) Confecção de projeto de financiamento de equipamentos (secadores, despolpadores) de uso coletivo.

6) Construção dos galpões para os equipamentos coletivos subsidiada pela Prefeitura de Miradouro.

7) Montagem dos grupos de negociação do produto.

8) Cadastramento de produtores para operar com o CPR de café no Banco do Brasil.

9) Montagem do Centro de Prova de Café.

10) Visitas técnicas em propriedades e compradores idôneos.

11) Cursos de aperfeiçoamento na atividade.

12) Concurso Municipal de qualidade de café.

Parcerias:

O Projeto Ouro Branco é desenvolvido sobre uma base de parceiros, a saber: Prefeitura de Miradouro, Secretaria de Agricultura, Sindicato dos trabalhadores Rurais, Associação dos Pequenos Produtores Rurais de Miradouro, EMATER-MG e iniciativa privada. As parcerias garantem as informações, insumos e serviços necessários à atividade de cafeicultura. Além dos parceiros locais, o projeto prevê parcerias ousadas com outras empresas em seguimentos específicos.

Assistência em geral:

Os associados recebem do conjunto de parceiros vários benefícios:

• Formação das Associações: Auxílio com reuniões para a formação dos núcleos (grupos), confecção de projetos para financiamento do tanque de resfriamento de leite em grupo e construção da sala (casinha) para o tanque;

• Assistência Técnica: É disponibilizado para os produtores técnicos para auxílio na atividade, bem como gerenciamento da propriedade. Neste sentido dispõe esforços focados na nutrição e qualidade do grão.

• Tratores: Disponibilizado para os produtores a custos subsidiados pela prefeitura para serviços de aração, gradagem, melhoria de estradas internas e preparo de áreas para construções rurais;

• Insumos: Auxílio na compra de insumos produtivos em grupo para aquisição em preços mais viáveis;

• Documentos: A necessidade de atualizações de documentos pessoais e das propriedades é auxiliada, inclusive no arquivamento e envio de documentação para a aposentadoria;

• Tecnologia: Busca de tecnologias avançadas para apoio na produção e bem estar da família;

• Certificação de propriedade: Assistência mais intensiva nas propriedades que se certificarem nos moldes traçados para os cafeicultores, e hoje sob supervisão da EMATER-MG;

• Investimentos: Confecção de projeto técnico para financiamento do Pronaf, dentre outros

Importante:

É de extrema importância reconhecer que o Projeto Ouro Verde, como outros, também se desenvolve em harmonia com os outros projetos como:

• Viver Melhor (várzea de arroz comunitária e reflorestamento urbano)

• Saber e Nutrir (piscicultura de corte e ornamental)

• Ouro branco (bovinocultura leiteira)

• Frango Caipira Melhorado(avicultura)

• Educação do Campo (aulas de técnicas agrícolas nas escolas)

• Patrulha Agrícola (máquinas agrícolas subsidiadas)

• Desnutrição Zero (auxílio às crianças de baixo peso)

• Apicultura Comunitária (criação de abelha)

• Horta Comunitária (produção de olerícolas)

Internet em Prosa e Verso

O projeto Rimando com a Internet visa a democratização do acesso a internet das pessoas mais humildes, dando a elas a oportunidade indeterminada de acesso ao universo de informações que a rede oferece.


Ele foi dividido em três fases. A primeira fase começou a ser implantada em 2009, com um investimento inicial de R$90.000,00 e a contratação de um link dedicado para os usuários, passando assim o município a ser um provedor público.

Sua primeira fase chegou ao fim no mês de março com o objetivo de 100 famílias beneficiadas sendo alcançado. A partir de agora iremos iniciar a segunda fase do projeto, que será levá-lo à zona rural integrando o Rimando com a Internet com outros projetos, como o Ouro Branco, Ouro Verde, Viver Melhor, Saber e Nutrir, entre outros. Já que um dos meus objetivos é a integração e interação de todos os projetos para que eles tenham sustentabilidade e que o maior número de munícipes seja beneficiado.

Os estudos técnicos para a implantação da segunda fase já estão em andamento (localização das torres, equipamentos necessários, famílias que podem ser atendidas, entre outros) com um investimento previsto de R$90.000,00. A previsão para o incio das operações é julho de 2010.

Além disso, nesta segunda fase iremos agregar ao projeto Rimando com a Internet a telefonia VOIP, com essa tecnologia, iremos disponibilizar às famílias, telefonia de baixo custo, sendo que as ligações feitas entre as famílias do projeto Rimando com a Internet e também com a administração pública, em todos os seus setores, serão gratuitas.

Na terceira fase, iremos dobrar a capacidade do nosso provedor, para que a totalidade das famílias de baixa renda de nosso município seja contemplada.

Assim, o projeto Rimando com a internet irá cumprir com o seu objetivo, ser o maior guardião da distribuição de renda já mais vista nesse município, acabar com o analfabetismo digital, sendo pioneiro na Zona da Mata Mineira como provedor público do sinal digital e levando telefonia de baixo custo para toda a população.

Os requisitos para a aprovação das famílias no projeto são:


• Famílias com renda total de até 4 salários mínimos;

• Famílias que estejam com as obrigações sociais em dia, como:

• IPTU;

• Vacinação dos filhos;

• Frequência escolar;

• Estar matriculado no Brasil Alfabetizado (quando se tratar de adulto analfabeto);

• Se possuir automóvel, este terá que estar emplacado no município.

Compreender a profundidade das ideias

O xadrez é um dos jogos mais antigos da humanidade: atravessou quase 15 séculos e culturas tão diferentes quanto à da Antiga Índia, Europa Medieval, União Soviética e Ocidente Capitalista. A história do xadrez se confunde com a história da humanidade.

Pare e pense! Um jogo capaz de cativar pessoas por 1.500 anos.

Pergunto a você: Por quê? Será que ele é tudo isso, apenas por ser capaz de aguçar o pensamento?

Este jogo foi capaz de, durante a idade média, segundo alguns historiadores, guiar a moral. Durante o Iluminismo foi utilizado na política, e todos viram nascer a importância da ciência cognitiva.

Modernamente, o conhecemos como método para estimular o raciocínio lógico e o pensamento competitivo. Um jogo capaz de investigar e acrescentar incrivelmente o raciocínio lógico à essência humana. Executivos de todo o mundo o recomendam como treinamento imprescindível para formar mentes competitivas.

Albert Einstein disse certa vez: “O xadrez mantém seu senhor preso a mente”. Em 1786, Benjamin Franklin escreveu: “durante inúmeros períodos ele foi a diversão de todas as nações civilizadas da Ásia, da Pérsia e da Índia”.

Novamente pergunto: Como pode um jogo durar tanto e agradar tão amplamente ao longo da história?

Existe uma coisa profunda entre o jogo e a mente humana, ele é capaz de integrar o homem com seu trabalho, sua produção artística, sua visão política, na matemática, na filosofia.

Complexo e, por vezes abstrato, torna-se fascinante.

É um jogo para se adquirir o conhecimento ornamentado pela armadura das contradições. Compreender é a arma essencial. “A vitória é obtida pelo intelecto.” disse Muhammad Abdullah no ano de 612. Um jogo cuja essência tem sua imagem gravada no cérebro de cada ser humano jogador.

Durante algum período da história foi usado como orgulho nacionalista, pelos regimes totalitários que buscam provar sua superioridade moral e intelectual. Em 1917, Nicolai comandante in chefe da Revolução de Lênin disse “O exército soviético adotará o xadrez como projeto pessoal”.

Como você pode observar, ele está em todo o mundo, em todos os regimes e em todas as épocas. O xadrez com sua dinâmica de ataque e contra-ataque é intrinsecamente dialético. A dialética de Hengels do século XIX refere-se a um vai-e-vem com algumas jogadas e afirmações opostas.

O xadrez aparece como um novo poder, a idéia que abre caminho no mundo com base no esforço e na capacidade individual, ele depende apenas de seu próprio talento.

Milagre ou não?

Historicamente, estamos vivendo um momento único na pecuária leiteira. E é com imensa preocupação que me dirijo a você, produtor do projeto “Ouro Branco”. Temos que ser comedidos, parar e refletir. O que aconteceu com a cadeia leiteira para que, subitamente, tivéssemos um aumento tão brusco?

Convido a você a fazermos, juntos, uma análise profunda:

Seca intensa na Austrália; inundações sucessivas na Argentina e no Uruguai; queda na produção norte-americana; aumento do consumo na China e, somado a tudo isso, o mundo cresceu 5% (cinco por cento) no terceiro ano consecutivo.

Ora, meu amigo, se a economia mundial cresce, quem não quer comer um queijo ou requeijão?

Sendo assim, esse conjunto de fatores: queda de produção em algumas regiões e o aumento da economia mundial, elevaram o preço do leite.

Além desses fatores externos, o aumento do consumo interno significativo, a expansão da lavoura de cana-de-açúcar em função do biodiesel, a expansão do plantio de eucalipto, também exerceram influência nesse aumento de leite.

Nossa administração tem investido tanto na pecuária leiteira, dentre vários motivos, porque sabemos que a cadeia produtiva do leite é a segunda do país, perdendo apenas para a cadeia da construção civil. Sabemos, ainda, que para 50 litros/dia produzidos, empregos são gerados no país.

E todo esse conjunto nos faz pensar: é o momento de investir e aprimorar tecnologia, de melhorar o gerenciamento da propriedade e o manejo do rebanho, olhando um horizonte que se integra. Temos certeza do otimismo de todos, mas é extremamente importante que tenhamos cautela, para que possamos investir em tecnologia, diminuindo assim os custos de produção.

De repente, você que está lendo, deve estar se perguntando: o leite está com um preço tão bom, para que esquentar a cabeça com isso?

Caro produtor, avançamos mais ainda no associativismo dos 23 tanques de resfriamento implantados no município.

Gostaria que você refletisse comigo mais uma vez:

A avaliação de qualidade do leite nos Estados Unidos exige 100 mil células somáticas por mililitro; no Uruguai 40 mil. No Brasil é considerado bom, o leite que contenha 1 milhão de células somáticas por mililitro.

Ora companheiro, a qualidade de nosso produto está abaixo da produção mundial. Como iremos então competir no mercado internacional?

Para isso, a receita, eu que sou médico vou lhe dar:


  •  Aprimorar a tecnologia, ou seja, investir em qualidade;

  •  Diminuir os custos de produção;

  • O Poder Público tem que querer ser parceiro e quer;

  •  E, o mais importante, sem dúvida, você tem que querer esta parceria.
É hora de ampliarmos a parceria com a indústria, porque eles também querem nosso avanço tecnológico. É hora de aumentar a assistência técnica na Secretaria de agricultura, ampliando o melhoramento genético e a rede de alimentação do rebanho, introduzindo novas idéias, como por exemplo, o leite orgânico.

Não tenho dúvidas, os preços são ditados pelo mercado, em algum momento, eles irão se estabilizar e, aqueles que se mantiverem unidos e avançarem com tecnologia, permanecerão no mercado.

No mundo Atual

Um mundo atual, cada vez mais competitivo, transformado por uma dinâmica quase que diária.

Tudo isso implica no nascimento de novas necessidades sociais e inconseqüências, deverão ocorrer mudanças no olhar dos gestores públicos; as escolas deverão preparar nossas crianças, jovens e professores para sua inserção nessa sociedade globalizada e em franco movimento.

O mundo à mercê das drogas e das violências, com uma exposição cada vez maior em nossa sociedade, mesmo assim, em meio tudo isso, alguns não compreendem e se lançam em críticas absurdas.

Nesse contexto, alterações sociais e emocionais ocorrem por todo mundo, que está a cada dia repleto de avanços tecnológicos.

Assim, dentro da estrutura, entendo que é necessária uma forma mais detalhada, mais precisa, que atenda às solicitações do mercado de trabalho. Como por exemplo: alto estima, responsabilidade, disciplina, aprender com os erros, resoluções de conflitos, pensamento criativo, raciocínio lógico, planejamento e saber trabalhar em equipe. São habilidades essenciais para a construção de um novo cidadão.

Diante desses fatos, era necessário fortalecer a prática educacional buscando novos conhecimentos que possam fundamentar as mudanças necessárias no papel e no currículo do professor.

Para tanto implementamos:

  • Escola de Tempo Integral; 
  • Núcleo Diversificado;
  • Capacitações Continuadas.

Na busca do desenvolvimento ou com foco de desenvolvimento de habilidades e competências que conduzam nossos jovens no mundo, encontrei pressupostos teóricos de: PLACET, FREIRE, “o conhecimento do aluno deverá ser o centro do processo de aprendizagem tenha significado e que provoque a modificabilidade cognitiva por meio de experiências mediadas”.

A quebra de paradigmas que provoca nos professores a necessidade de repensar sua prática atual e apropriarem-se de novas teorias.

Daí, a opção de nossa gestão MENTE INOVADORA, essa nova visão de ensinar através de jogos de raciocínio e métodos cognitivos é extremamente prazerosa.

Os jogos de raciocínio promovem uma proximidade entre professor e aluno.

Testamento a ti, a todos nós

“Se acaso a morte angústia de quem vive.”

Chegar...

Aos companheiros desejo que lutem por sua liberdade, sem jamais, perder os alicerces de nossos ideais.

Aos meus filhos, que possam aprender com minha trajetória, com minhas palavras e feitos sem, contudo, jamais perder o amor por nossa pátria, nossa gente.

Aos amigos, que possam reverter em suas vidas os princípios pelos quais me guiei.

Ao meu irmão, querido irmão, que possa ter sabedoria para conduzir um patrimônio, auxiliando-o na educação, saúde de nossa mãe e nossos filhos.

À minha mãe, que possa mais que todos, refletir sobre o homem que fui; sonhador, amante de sua pátria, fiel aos seus preceitos.

Aos amores vividos, que possam considerar os momentos de beleza e ternura, na proporção criadora, de meus sonhos e realizações.

Enfim, a você que não conheceu minha essência...

Sim! Fui ousado, destemido, sem jamais deixar de ser prudente, questionado e discutido.

Um guerreiro transcendente, ganhando forças ao abrigo da lua, um conquistador do que estava além.

Porém, por vezes conquistado, pelas claras formas meigas e insuperadas de nosso povo.

Apaixonado por tudo que fiz.

Fui, absolutamente reipolho...

Quem és tu? Quem sou eu?

A Câmara dos Deputados aprovou, no dia 10 de março de 2010, uma emenda que muda as regras de distribuição dos royalties do petróleo. Como era de se esperar esta aprovação trouxe consigo uma polêmica de proporções que há muito tempo não se via no Brasil.

Royalties são uma espécie de compensação financeira paga pelos exploradores de uma patente de produto, processo de produção, marca ou riquezas naturais aos proprietários.

No caso do petróleo, a União é a “proprietária” das reservas e os exploradores lhe pagam os royalties para poder usar e comercializá-lo. Atualmente, os recursos oriundos dos royalties são divididos entres os municípios e os estados produtores.

A polêmica emenda, que ficou conhecida como “emenda Ibsen”, de autoria dos deputados Ibsen Pinheiro (PMDB-RS) e Humberto Souto (PPS-MG), impõe uma nova distribuição dos royalties – tanto dos contratos de concessão quanto os que vierem a ser aferidos com o pré-sal, para que todos os estados e municípios brasileiros recebam segundo as regras dos Fundos de Participação dos Municípios (FPM) e dos Estados (FPE). A divisão aprovada na Câmara por 369 votos a favor e 72 contrários destina 40% dos recursos para a União, 30% aos Estados e 30% aos Municípios sendo o restante repartido com estados e municípios brasileiros, incluindo os não produtores.

Os Estados produtores, Rio de Janeiro e Espírito Santo, obviamente, estão revoltados com a mudança, estão pressionando o Congresso Nacional e mobilizando a população com o argumento de que é uma “covardia” por que seria uma queda brusca de arrecadação que inviabilizará todos os projetos estaduais e municipais. Com a atual distribuição dos royalties, o Rio de Janeiro recebe R$ 7 bilhões de reais por ano e o Espírito Santo R$337,8 milhões/ano.

Como prefeito de Miradouro, um pequeno município, preciso me manifestar sobre a matéria que interessa a todos os municípios mineiros que, atualmente, não recebem nenhum recurso pela exploração do petróleo que é uma riqueza nacional, pertence a todo o país. Este é o argumento dos que defendem a nova distribuição dos royalties. E esta me parece ser a corrente mais acertada.

Uma riqueza brasileira, não pode beneficiar apenas aos estados para os quais a exploração seja feita a sua frente. É preciso utilizar o petróleo para fazer justiça social e reduzir desequilíbrios regionais. A exploração do petróleo é feita no mar, não havendo possibilidades de danos para os estados e municípios produtores. A atual divisão privilegia dois estados brasileiros e prejudica 25.

Outro aspecto interessante é que pesquisas indicam que os royalties não têm relação direta com a melhoria da qualidade de vida dos produtores. Um levantamento coordenado pelo Professor Cláudio Paiva, do Departamento de Economia da UNESP aponta para esta realidade (Disponível em: http://ultimosegundo.ig.com.br/bbc/2010/03/19/royalties+nao+melhoraram+vida+em+municipios+produtores+diz+estudo+9433160.html).

O Pré-sal, que trouxe a tona toda esta discussão, é uma faixa que se estende ao longo de 800 quilômetros entre os Estados do Espírito Santo e Santa Catarina, abaixo do leito do mar, mas pertence a nação brasileira e não apenas a estes estados.

Assim, com a expectativa do acréscimo à arrecadação dos royalties oriundas do pré-sal, nasceu este sentimento de democratização da divisão dos recursos como forma de fazer justiça social. É mister a participação de toda população no debate. Convoco as lideranças municipais e estaduais para se manifestarem, unindo forças com os movimentos municipalistas, sem nunca nos esquecermos do nosso compromisso de manter unida a nossa Federação Brasileira.

Como diretor da Associação Mineira de Municípios (AMM), tenho muito orgulho do papel de mobilização que esta desempenha brilhantemente. Organizada e consciente, a AMM vem liderando habilidosamente a mobilização dos municípios mineiros, para a qual o conclamo a participar.

Caro amigo, não fique alheio a esta discussão ela muda os rumos políticos, sociais e econômicos deste país! Venha somar forças com a gente! Participe desta mobilização! É hora de mudarmos esta realidade!

Uma Rádio: Um Símbolo de Competência e Seriedade.

Hoje venho  parabenizar a Rádio Muriaé por seu aniversário.




Venho reafirmar estima pelo trabalho desenvolvido na Rádio Muriaé que é símbolo de competência e seriedade, de trabalho idôneo que não se curva a interesses econômicos e se mantém firme no propósito de fazer uma comunicação social ética.



A democracia está se fortalecendo em nosso Estado, vivemos um momento histórico em que um município do tamanho de Miradouro com apenas 10197 habitantes, vai concorrer junto com 224 municípios mineiros ao Prêmio Prefeito Empreendedor 2010 do SEBRAE e vença com louvor. A maioria dos municípios concorrentes eram maiores e com maior arrecadação, mais com criatividade e inovação, nós conseguimos driblar as diferenças e sermos merecedores desta condecoração.



E neste contexto, em que vivenciamos este fortalecimento da democracia, quero parabenizar a Rádio Muriaé que é a maior manifestação democrática da nossa região. Uma rádio que representa nossa região nacionalmente e que dá voz àqueles que são comprometidos com o interesse público e social. Receba meus sinceros agradecimentos e felicitações por este dia tão especial.

Responsabilidade Social: Desnutrição Zero 2007

As famílias rurais e urbanas do município de Miradouro, na Zona da Mata, comemoram com orgulho os resultados do programa “Desnutrição Zero”. O nosso trabalho, que envolveu as Secretarias Municipais de Educação, de Saúde, de Agricultura e de Assistência Social, em parceria com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (EMATER/MG), o Programa de Saúde da Família (PSF), o Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS), beneficiou cerca de 190 crianças que estavam desnutridas.

Criado em 2005, o programa surgiu após um levantamento feito por agentes de saúde do município. Na pesquisa, foi constatado que crianças na faixa etária de 0 até 11 anos estavam desnutridas. Para reestruturar o cardápio das famílias, a solução foi inserir alimentos de valor nutritivo nas refeições desse público.

Sementes de feijão, hortaliças e legumes, doadas pelo Programa Minas sem Fome, programa estruturador do Governo do Estado, gerenciado pela EMATER/MG, e as visitas do técnico da Secretaria de Agricultura às famílias das crianças desnutridas para orientar sobre plantio, adubação e levando informações para melhorar aproveitamento da horta, além do acompanhamento das equipes do PSF orientando sobre higiene e saúde, atitudes que contribuíram decisivamente no reforço alimentar.

A Secretaria de Assistência Social faz o acompanhamento e dá a orientação para que as famílias saiam da situação de vulnerabilidade social, que geralmente apresenta-se vinculada a desnutrição infantil.

Minha proposta de implantar hortas nos próprios quintais das residências foi um importante passo. Na família do agricultor Dércio Vieira Silva, dono de uma das propriedades piloto do Projeto Ouro Branco, duas crianças apresentaram problemas nutricionais, mas a horta implantada em sua propriedade possibilitou o enriquecimento da alimentação dos meninos. “Com a horta começamos a colher cenoura, beterraba, alface, couve, alimentos com alto valor nutritivo e que contribuíram para combater a desnutrição em nossas crianças”, afirma.

Realizamos com sucesso no sábado, dia 06/02/2010, o 12° Encontro do Projeto Desnutrição 2007. O evento contou com a participação dos pais das crianças atendidas pelo projeto e de servidores públicos de diversos setores da administração municipal. Foram as seguintes palestras:

1ª - A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO – Tatiana Cardoso – Enfermeira;

2ª - A IMPORTÂNCIA DA LAIMENTAÇÃO NA FORMAÇÃO DA INTELECTUALIDADE – Dr. Otávio Gouvêa – Médico psiquiatra

3ª – AMOR E LIMITE – Dra. Karina Queiroz – Psicóloga

4ª - REAPROVEITAMENTO DE ALIMENTOS – Eliane Carneiro – Assistente Social

5ª - A IMPORTÂNCIA DA ESCOVAÇÃO – Dra. Brunela – Odontóloga



O meu principal objetivo foi a sensibilização das pessoas para o risco do descuidado com a segurança alimentar. Atualmente, não temos mais crianças desnutridas em Miradouro, como pretendia o programa a desnutrição infantil foi zerada em 2007. Entretanto, possuímos 15 crianças com baixo peso e 15 com risco nutricional, por isso não podemos descuidar do acompanhamento destas crianças. Neste sentido, a Secretaria de Saúde faz visitas periódicas, assistência pediátrica e atenção especial do Programa Saúde Bucal a estas famílias. Em colaboração ao trabalho da Secretaria de Saúde, a Secretaria de Educação monitorará, através dos diretores e professores, nas escolas, as crianças diagnosticadas em risco nutricional ou baixo peso e o comportamento dos pais nas reuniões escolares. A Secretaria de Agricultura se comprometeu a continuar fornecendo assistência técnica e sementes de hortaliças para as hortas e a Secretaria de Assistência Social acompanhará as famílias para auxiliar no que tange a vulnerabilidade social.



Parcerias de sucesso



Além do programa Desnutrição Zero, que garantiu a segurança alimentar e nutricional das famílias de Miradouro, dois projetos voltados para o café e leite também são responsáveis pelo desenvolvimento da agricultura familiar no município. A Secretaria da Agricultura e Meio Ambiente, em parceria com a EMATER/MG e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Miradouro, lançou os projetos Ouro Verde e Ouro Branco, este último chega a sua quarta fase de implantação com resultados animadores.

O Ouro Verde auxiliou os cafeicultores nas questões de administração rural, qualidade e comercialização do café. Utilizando-se de palestras e dias de campo fora desenvolvido junto aos agricultores, trabalhos como mapeamentos das propriedades, instalação adequada de tambores de lixo e proteção de nascentes e também aliado ao processo de certificação do café, que foi coroado com a implantação do Centro de Comercialização do Café de Miradouro (Seco). No local, os produtores terão acesso à sala de prova, com profissional especializado em degustação, além de orientação sobre logística, internet e um armazém para beneficiamento do café.

Com o mesmo propósito de aliar qualidade e renda no campo, o Ouro Branco foi responsável pelo aumento da produção de leite no município. Cerca de 260 produtores foram inseridos no projeto. A produção, que era de 1.500 litros/dia, passou para 7.500 litros/dia. Tudo graças aos 23 tanques de resfriamento adquiridos com recursos da linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF), por meio de projetos elaborados pela EMATER/MG, e dos investimentos do Município na construção de galpões para abrigar os tanques, cursos de orientação para melhorar a produtividade e a realização de silagens, plantios de cana, capim e milho feitos com sementes e tratores fornecidos pela Prefeitura.



“Além de aumentar a produção de leite, os tanques são também uma forma de seguir a normativa 51, que regulamenta a técnica de produção, origem, qualidade, coleta e transporte de Leite”, complementa o extensionista da EMATER/MG Leandro Cardoso Firmino.

Considero que a melhoria na qualidade de vida das famílias rurais, com o aumento de renda e o combate à desnutrição, é reflexo do trabalho coletivo, por meio das parcerias, os projetos foram criados e colocados em prática.

O Projeto Desnutrição Zero é uma conquista histórica de todos os funcionários da Prefeitura, em especial àqueles que contribuíram para que passássemos de 4.417 atendimentos odontológicos no ano de 2005 para 21.817 atendimentos em 2008 e àqueles cujos quais, contribuíram na ampliação da cobertura do PSF, que passou de 02 para 04 equipes e aos que contribuíram na diminuição do analfabetismo e da mortalidade infantil em Miradouro (em 2005 o índice era 21% de analfabetismo, em 2008 caiu para 7%, e zerada a mortalidade infantil).

Atualmente 100% de tudo que é consumido na merenda escolar do município é comprado da agricultura familiar, 100% das crianças do ensino fundamental urbano fazem parte do Programa Escola Integrada, que disponibiliza aos alunos escola em tempo integral, três refeições diárias e consultório odontológico exclusivo, além de acompanhamento com psicólogo e fonoaudiólogo. Além disto, o município investiu muito em comunicação (telefonia móvel), e em infra-estrutura, com construção de pontes e manutenção das estradas para ecoar a produção, inovações que repercutem diretamente não só no Programa Desnutrição Zero, mas em todos os projetos desenvolvidos no Município

Acredito que as políticas públicas quando alicerçadas em parcerias e integradas a cada secretaria formam junto à população o caminho das realizações, zerar a desnutrição é consequência do conjunto de ações e projetos de desenvolvimento rurais sustentáveis, implantados e reconhecidos regionalmente, como o Projeto Ouro Branco.

Escola em Tempo Integral "Integrada à Comunidade" e sua relação com a Democracia.

O que pensamos que é hoje DEMOCRACIA?

Seria, quem sabe, o direito que temos a discussão ou, quem sabe, o direito às manifestações diversas...

Quem sabe a Democracia hoje possa ser a capacidade que temos de nos fortalecermos enquanto cidadãos?

A capacidade que também temos de buscarmos uns nos outros o preenchimento das lacunas importantes, que formam nossas crianças, que fazem de todos nós cidadãos.

A democracia não é um sonho! Embora, tenha nascido dos sonhos de muitos homens e mulheres de nossa pátria que lutaram e morreram para que nós a concebêssemos. A história de Minas Gerais não é diferente da do resto do país, a grande temática aqui entre nós é o grande poder das oligarquias, que fortalecidas nas bases econômicas, blindaram durante anos o acesso dos trabalhadores à gestão pública. Entretanto, a organização cada vez mais crescente dos movimentos sociais embala a mobilização dos trabalhadores na busca incessante de seus direitos e na ocupação dos cargos públicos.

Quem sabe a Educação seja a base sobre a qual a Democracia se sustenta? É evidente que o desenvolvimento da Educação traz em seu bojo o fortalecimento da consciência social, discussões e manifestações diversas e, em conseqüência disto, o espírito de cidadania.

Assim, ao fortalecer a Educação estaremos contribuindo para o desenvolvimento da Democracia.

E como fortalecer a Educação?

Acredito na educação em tempo integral como alternativa para o fortalecimento da Educação. O Projeto Escola em Tempo Integral – Integrada à Comunidade, "Escola Integrada", foi criado e implantado pelo município de Miradouro para vencer o desafio da evasão escolar, "repetência" e distorção idade-série garantindo o cumprimento das metas do IDEB que foram estabelecidas para o nosso Município. Além, de permitir que o aluno desenvolva suas habilidades e competências. O Projeto está sendo realizado, primeiramente, nas escolas da Zona Urbana, sendo a única cidade da Zona da Mata Mineira a ofertar a todos os alunos da cidade escola em tempo integral.

A Escola Integrada oferece aos alunos monitoria nos conteúdos do Currículo Comum: Matemática e Português; e introduz novos conteúdos: Música, Esporte, Xadrez, Informática, Inglês, Formação Social e Pessoal, Artes e MenteInovadora. As atividades do Tempo Integral são realizadas em diferentes espaços: Centro de Cultura Serra do Brigadeiro, Clube Recreativo Municipal e nas próprias Escolas. O deslocamento das turmas de 3°, 4° e 5° anos é acompanhado por monitores e pela Guarda Municipal. Já para as turmas de 1° e 2° anos é utilizado o transporte escolar. O objetivo de alguns conteúdos acontecerem fora do espaço escolar é proporcionar e, ao mesmo tempo, privilegiar a integração com a comunidade. "A educação é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida." John Dewey. Os alunos da rede pública municipal ultrapassam os muros da escola e vão para o seio da comunidade e assimilam que a Educação está além dos limites físicos do prédio escolar, está no mundo.

As Atividades Diversificadas (novos conteúdos e as monitorias) são realizadas no contra turno escolar. Essa ampliação do tempo de permanência nas escolas permite uma transformação na qualidade do processo ensino-aprendizagem. Além, de favorecer o acesso das mães ao mercado de trabalho, sem ter que deixar seus filhos sob o cuidado de outras pessoas, e em muitos casos sozinhos em casa. Embora, nossa cidade seja de pequeno porte e no interior, ganharam espaços os males das cidades grandes: violência, exploração sexual de crianças, drogas... Assim, temos também o objetivo de preservar nossas crianças, garantindo-lhes uma infância tranquila e segura, longe do perigo das ruas. Acredito ser a Educação um eixo de desenvolvimento e parte fundamental para uma saúde de qualidade.

Por fim, nos dias atuais o aluno tem que desenvolver habilidades de correlacionar conteúdos, tomar decisões e aplicar na prática o conhecimento acumulado. E, evidentemente, o aluno em tempo integral tem maiores possibilidades para se preparar. Vale ressaltar o dispositivo legal da Lei n°9394/1996 (LDBE) que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional e assim determina no seu artigo 34, §2°:

“ Artigo 34 – A jornada escolar no ensino fundamental incluirá pelo menos quatro horas de trabalho efetivo em sala de aula, sendo progressivamente ampliado o período de permanência na escola.

...

§2° - O ensino fundamental será ministrado progressivamente em tempo integral, a critério dos sistemas de ensino.”

Desde o início do Projeto, são servidos dois lanches (manhã e tarde) e almoço. A merenda escolar (Tempo Integral) tem como objetivo contribuir para o crescimento, desenvolvimento, aprendizagem e a formação de hábitos alimentares saudáveis dos alunos durante a sua permanência na escola. O almoço oferecido supre cerca de 30% das necessidades calóricas diárias das crianças e os lanches cerca de 15%. As refeições são acompanhadas por uma Nutricionista, Responsável Técnico (a) pelo Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), portanto, são suficientes para suprirem as necessidades diárias de uma criança. Além disto, o município disponibiliza uma equipe de suporte com psicólogo e fonoaudiólogo para atendimentos dos alunos.

Contudo, o nosso objetivo foi alcançado, pois a aprendizagem segundo o resultado apresentado pelo IDEB, um dos melhores do interior mineiro, superou as metas e colocou o Município acima da Média Nacional, bem próxima à dos países desenvolvidos.

O município se espelha nas experiências de sucesso de outros países. A escola integral é a regra desde sempre na maioria das nações desenvolvidas da Europa, no Japão, nos Estados Unidos e no Canadá. Mesmo em muitas nações pobres ou emergentes, inclusive africanas. Já os países da América Latina, em geral, reduziram a jornada dos alunos, com exceção de Guiana e Suriname, ligados às raízes da colonização francesa e holandesa. Uruguai, Argentina e Chile têm tomado iniciativas para voltar gradualmente ao ensino em tempo integral, enquanto a Venezuela, com suas “escuelas bolivarianas”, tem dado maior peso institucional a esse resgate.

Entre os países da América Latina, o Chile pode ser considerado um modelo de boa educação no mundo. Destaque em avaliações internacionais, foi o país melhor colocado no ranking do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) nos últimos três anos.

O Chile tem cerca de 3,8 milhões de alunos na rede pública e a educação em tempo integral é oferecida em cerca de 85% das escolas do país. A taxa de evasão na educação primária, equivalente ao nosso ensino fundamental, é de pouco mais de 1% e o analfabetismo atinge 3,8% da população maior de 15 anos. No Brasil, o índice é de 10%. As crianças chilenas entram na escola aos 6 anos e cumprem obrigatoriamente 12 anos de estudos, até o ensino secundário. No Brasil, o ensino médio ainda não é obrigatório e a escolaridade compreende apenas a faixa etária dos 7 aos 14 anos.

Estudos mostram uma infeliz constatação, o Brasil retrocedeu em educação, deu vários passos para trás na questão do ensino em turno integral na rede pública. De acordo com estudo do consultor legislativo do Senado João Monlevade, até meados da década de 1920 a esmagadora maioria dos alunos brasileiros estudava em escolas com jornada integral.

A primeira escola do país – o Colégio dos Meninos de Jesus, inaugurada pelos jesuítas em 1550 em Salvador , era um internato onde os estudantes moravam e, além das aulas, tinham atividades de estudo, de recreação e religiosas. Esse modelo foi seguido por todos os colégios e missões indígenas durante mais de 250 anos.

Com a proclamação da República, em 1889, multiplicaram-se as escolas primárias e secundárias públicas e os externatos passaram a ser maioria. Mesmo assim, os estudantes tinham aulas pela manhã e a tarde, ocupando uma sala e uma carteira exclusivas.

Na década de 1920, as autoridades paulistas, preocupadas em atender a demanda muito acima do número de vagas, adotaram os turnos reduzidos, matutino e vespertino, como medida emergencial, duplicando a capacidade de matrícula no mesmo espaço, com a promessa de construir centenas de prédios para uma volta à jornada integral. Mas não apenas nunca houve o prometido retorno, como o turno reduzido se espalhou para os demais estados do Brasil e para quase todos os países da América Latina.

Monlevade afirma ainda, que grandes educadores, como Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro, tentaram resgatar a jornada integral entre as décadas de 1950 e 1990. Por iniciativa deles nasceram o Centro Educacional Carneiro Ribeiro, em Salvador, escolas-parque e escolas-classe, em Brasília, e os Cieps, no Rio de Janeiro, que, além de horário integral, tinham espaço e equipamentos adequados ao desenvolvimento integral do currículo. Hoje o Rio de Janeiro, que chegou a ter mais da metade dos alunos matriculados em jornada integral, retrocedeu a 8,9%, segundo o censo do MEC.

Mesmo no governo Fernando Collor, e depois no de Itamar Franco, quando os Centros Integrados de Atendimento às Crianças (Ciacs) eram a grande bandeira na área da educação básica, o retorno não se concretizou. Construídos pela União, os Ciacs (ou Caics, no governo Itamar) eram entregues ao estado ou município, que logo instituíam os turnos reduzidos, em razão da demanda por matrículas. Quase mil centros foram entregues e pouquíssimos deles adotaram o sistema de jornada integral.

Além das dificuldades de financiamento, Monlevade atribui a responsabilidade pelo fracasso das tentativas de resgate do turno integral à descontinuidade das políticas públicas, que mudam a cada governo, e à resistência dos professores e do próprio pensamento acadêmico gerado nas universidades do país.

Estou enfrentando o desafio de resgatar a Educação em Tempo Integral, inédita no município que se emancipou em 1938, época em que a prática do turno reduzido se transformava em regra no Brasil. Lançando a semente deste resgate da educação pública, espero que a ideia seja abraçada pelos demais municípios. A iniciativa tem sido amplamente divulgada e elogiada por toda região e pelos órgãos competentes dos vários entes federados.